segunda-feira, 31 de outubro de 2011

DESPEDIMO-NOS HOJE DA ANA

Hoje foi o funeral da Ana ...

Um momento de consternação em que não consegui evitar deixar escapar umas teimosas e persistentes lágrimas ... irreprimíveis mesmo com a vã ajuda do meu lenço na tentativa  de as "secar" antes de sairem ...
Detesto esta minha pouca capacidade para controlar as emoções ... dizem-me "chora que alivia ..." uma merda é o que é !!!

Os pais aguentaram firme e receberam com um sorriso todos os que se quiseram solidarizar neste momento ... pais corajosos a quem a convivência de quase 10 anos com a filha soube dar uma resistência e capacidade de transformar o sofrimento em algo positivo que não sei explicar.
Souberam amar aquela criança "diferente" dando uma lição de vida a todos os que lhes são próximo... Se acreditam que há um Deus, que há um lugar onde estão reunidos os que mostraram na sua passagem pela vida méritos para estarem nesse lugar junto d'Ele, eles terão, seguramente, um lugar bem perto ...
Como alguém disse ... "a Ana quer ver risos e brincadeiras porque era isso que a fazia feliz, a despertava e estimulava ... a confusão é que a faz sorrir ... "
... fica aqui o sorriso de toda a familia para ela...

domingo, 30 de outubro de 2011

HOJE É UM DIA TRISTE...


A Ana com 4 anos numa foto que ela própria me ofereceu na data do aniversário


Hoje é um dia triste para todos nós cá em casa e para mim em particular que não consigo esconder como por vezes gostaria, os meus sentimentos ... quem me conhece sabe que sou um "sentimentalão" e que as lágrimas me fluem com facilidade quer nos momentos de alegria quer nos de tristeza ... e hoje é, seguramente, um desses dias.

A minha afilhada Ana Sofia faleceu ontem à noite, no H. Pediátrico em Coimbra para onde tinha ido já com reduzidas esperanças numa melhoria do seu cada vez mais grave estado de saúde.

A Ana nasceu com uma doença genética rara, o síndrome de Hurler que se manifestou ainda com poucos meses de vida e que a condicionou para toda a sua breve existência.

Os pais, nossos amigos de há muitos anos, souberam ter uma coragem e um "à-vontade" com que lidavam com o problema que eu muitas vezes apontava como exemplo e referia que, eu próprio, não seria capaz de ter ... pais corajosos, que souberam lidar com a "diferença" da Ana e sempre procuraram manter a sua vida "normal" apesar das dificuldades que sabíamos ter mas, repito, sempre de cabeça levantada e com um entusiasmo que a maioria de nós não conseguiria ter ...

A Ana ao colo do pai na festa de aniversário da Joana em 2005

Estou triste, ... muito triste e choro, é irreprimível este choro ... recordo a Ana, nos momentos em que o seu estado de saúde melhor lhe permitiu viver  como criança que era -creio que talvez os 3 anos de idade tivessem correspondido ao seu melhor período - em que brincava com o seu irmão e os meus filhos.

Recordo ainda com muita ternura e já saudade expressões que ficaram na memória de todos como, por exemplo: "ninos, iá papa" (quando lhe pedíamos que fosse chamar o irmão e os meus filhos avisando que a refeição estava pronta); "nuno" (quando se queria referir ao meu filho João Nuno porque tratava o seu irmão por João),.. e muitas outras que nos faziam sorrir de forma meiga e muito ternurenta.
E já me esquecia dos assobios ... a Ana assobiava duma maneira tão engraçada que ria connosco quando assobiava... "assobia ó melro" dizia-lhe eu ...

Soube pelo pais que a sua partida foi um momento de paz e tranquilidade, numa cama do HP, junto deles e do irmão, a ouvir uma música, coisa que a mãe habitualmente lhe proporcionava nos momentos em que estava no hospital e que sabia que a tranquilizava ...

Choro ... e choro de forma que me faz interromper o raciocínio mas que alivia um pouco desta dor que magoa "cá dentro", ...  acredito que o momento devia ser de paz e serenidade por saber que, finalmente, a Ana e a sua familia, que tudo fez para lhe proporcionar uma vida o mais confortável possível, também agora poderão encontrar a sua paz e o seu sossego, que os desgastava ...
Mas que querem? ... sou assim, como disse no início ... um, pobre sentimentalão que por tudo e por nada chora ... e gostava muito da Ana .... merda de vida.

sábado, 29 de outubro de 2011

CARTAZES DE ONTEM E DE HOJE

Antigamente, os cartazes de rua eram com criminosos e ofereciam recompensas ...





hoje pedem votos.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

DEEP PURPLE

 

ENOLOGIA

Uma publicidade bem criativa ...

ABERTURA DE CONCURSO PARA PILOTO

Gostarias de ser piloto de aviação? ... sim ???
Então prepara-te pois terás que fazer uma bateria de exames apenas para seres admitido na Escola de Pilotos de Aviação.
Um deles, por exemplo, é um teste de visão que elimina mais de metade dos candidatos ... se não vês bem nem tens suficiente capacidade de concentração, não vale a pena sequer gastares dinheiro e tempo na candidatura ....

Teste visão e concentração para pilotos



A maioria dos homens não consegue.

Vejamos se tens o que é preciso para ser piloto...
És capaz de fixar o papagaio durante 10 segundos?



Pois! Foi o que eu pensei...

Junta-te a mim e esquece a merda da aviação...


Ó pra eles tão santinhos ....

E é esta malta que vem prá TV explicar porque é que todos devemos fazer sacrifícios ....
"Um raio que os abrasasse, corisco negros ...." todos têm subvenções vitalícias ...



Toma !!!!!

PRIMAVERA ÀRABE

A Primavera Àrabe está a trazer novas esperanças àqueles tiranizados povos ... e está a estender-se a outros pontos do Mundo, a outras sociedades, a outras mentalidades, ...

MOMENTO DE SERVIÇO PUBLICO

Porque este blogue não é só parvoices, gajas nuas e outras merdas que nos desviam dos caminhos da virtude, fica aqui mais um contributo para que o mesmo se eleve a padrões de moral e ética que alguns de vós desejariam que tivesse...

ALTERAÇÃO PARA HORA DE INVERNO

PIADOLA DO DIA - O DALTÓNICO

 No Aeroporto de Lisboa, um senhor bem vestido, acabado de chegar de viagem, apanha um táxi e pede ao taxista para o levar para a morada da sua casa.
No caminho, vê uma senhora, também com muito bom aspecto, com um
vestido vermelho,
a entrar numa discoteca. De repente reconhece que se trata da sua própria mulher!

O senhor fica desvairado e pede ao taxista que volte até à porta da
discoteca.
Chegado lá, tira do bolso um maço de notas e diz para o taxista:
- Aqui estão mil euros.
  São seus se você tirar de dentro desta discoteca uma mulher vestida de vermelho.   Mas, enquanto a arrasta cá para fora, vá-lhe dando uma valente carga de porrada,   sem problemas, porque essa desgraçada é a minha esposa!
O taxista, que vivia com grandes dificuldades financeiras, aceita sem
pensar duas vezes.
Cinco minutos depois o taxista surge a sair pela porta da discoteca,
arrastando pelos cabelos uma mulher, com o rosto a sangrar, toda rasgada e desgrenhada, e a gritar todas as asneiras que se possa imaginar.
O senhor bem vestido, que tinha ficado no táxi
, vê a cena e percebe, horrorizado,
que a mulher está vestida de verde! Sai do táxi a correr e grita para alertar o taxista do terrível erro.
- Pare! Pare! O senhor enganou-se. Não é essa senhora!
  Como é que você confundiu vermelho com verde ? O senhor é daltónico?
Ao que o taxista responde:
- Daltónico o "Caral******"! Esta de verde é a minha... Já volto lá dentro
para trazer a sua!

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

MAIS DO JOÃO NUNO ...

Olá de novo a todos ...  vou publicar mais umas fotos do João Nuno até ao seu aniversário ...
Recordações, memórias, ... em cada foto uma lembrança e um sorriso que aparece ...


Nesta foto, com a Prof. Ana Vicente e a Paula Sousa, que lhe incutiram o gosto pelo Voleibol,
com o prémio Atleta do Ano 2005




Com o amigo e colega de escola e escuteiros, João Pedro Correia
na sua festa de aniversário em 2005


Comigo no Estádio do Dragão, num FCPorto - Boavista
em dezembro de 2006



Aqui no Autódromo do Estoril, onde fomos ver a prova
World Series, em 2007



Num qualquer balnerário dum pavilhão, com colegas de equipe de voleibol do CAIC
Da esq. para a direita: João Cruz, João Nuno, Tiago Azenha, João Ferreira e Zé Gabriel



No baptizado da afilhada Catarina, filha do seu padrinho Abel Alexandre



E esta foto, mais recente, nas férias nos Picos da Europa, com a familia Costa, que faz parte do rol dos nossos melhores amigos, com interesses e gostos comuns.
Da esq. para a direita o Luis, O João David, o João Nuno, a Lena, a Joana, a Maria da Luz e a Paula.
Em segundo plano (coitados dos homens...) o Helder e eu próprio

O FUNCIONAMENTO DA JUSTIÇA


Boa tarde a todos:

Hoje fui a tribunal porque alguém da minha familia foi interveniente num acidente de viação, há cerca de 2 anos, e do qual resultou o falecimento duma pessoa, o que muito lamentamos.
Para além de todos os inconvenientes e prejuízos que todo o processo tem acarretado, ressalta o permanente incómodo que a recordação do acidente e do falecimento daquela pessoa traz a todos nós, especialmente ao meu familiar que, felizmente, nos últimos tempos, gradualmente começou a reagir melhor a esta adversidade.
Tudo isto a propósito de vir aqui opinar sobre a justiça em Portugal, tendo por base o hoje ocorrido no Tribunal de Soure.
Feita a habitual chamada pela funcionária do tribunal, concluiu-se que estavam presentes todas as pessoas o que motivou na maior parte de nós uma expressão de satisfação pela possibilidade de adiamento da audiência, marcada para as 10:00, ser agora bem mais remota.
Quem frequenta por obrigação ou devoção estas “Casas da Justiça” sabe o quão desagradável é a falta de alguém impedir a realização das audiências, obrigando a que todos os presentes voltem a disponibilizar-se para lá voltarem a estar.
Não era aqui, o caso, pois todos os intervenientes estavam disponíveis para prestar, com maior ou menor relevância, o seu testemunho.
Infelizmente, a audiência teve apenas alguns minutos pois um erro processual impediu a sua continuação: o Tribunal tinha olvidado notificar o CHC para saber se tinha alguma quantia a reclamar para além da já recebida da Cª de Seguros …
Tal facto a todos nos deixou muito desiludidos pois para além da possibilidade de se poder exorcisar definitivamente um estado de espírito constrangedor que diária e quotidianamente aflige quem mais com ele convive, a nossa satisfação inicial esfumou-se e pensei … “tudo vai voltar ao início durante mais uns meses … merda pra isto”…
E assim foi, as 6 testemunhas abonatórias, as 2 testemunhas oculares, o agente da GNR, a arguida, eu próprio, os 3 bombeiros que estiveram no local do acidente, uma funcionária do tribunal, uma Juiz, um delegado do Procurador da República … num total de 17 pessoas, … encontrar-se-ão, ao que tudo indica, lá para meados de 2012, cerca de 3 anos após o acidente.
Claro que estas situações geram incómodos e graves prejuízos … recordo a expressão dum dos bombeiros que dizia “vim de Sines, onde trabalho, … arranquei de madrugada e … agora não há audiência” …
Não percebo muito, quase nada mesmo (e dou graças a Deus por isso) do funcionamento dos tribunais e o que sou obrigado a saber resulta exclusivamente de ter que representar a minha entidade patronal nalguns processos com clientes seus  mas, e a pergunta é absolutamente ingénua:
 Não poderiam ter sido ouvidas as testemunhas ficando já o “trabalho adiantado”?


TUDO UMA QUESTÃO DE PRIORIDADES

MOMENTO SEXUAL DO DIA .... OU DE VÁRIOS

.. Bem ... por mero acaso numa pesquisa no Google, descobri este artigo duma senhora, brasileira, que dá dicas sobre vários e inúmeros assuntos ... ainda por mero acaso, cliquei, ...quase sem querer..., na palavra "SEXO", um dos assuntos disponíveis para consultar as dicas .... e deparei-me com este artigo para o qual chamo a vossa atenção ...

A importância do tesão nos tempos modernos

Sexo — Por em 16 de novembro de 2009 às 09:44

tesao
Ele passa na sua casa, te leva pra jantar, vocês vão ao cinema, depois ele sugere que estendam a noite e você topa. Vocês vão pra um motel ou pra casa dele, dão uns beijos… Até rolam umas preliminares, bacana, depois vocês já estão na cama. Você até chega ao orgasmo. Então eu vou te perguntar: o sexo foi bom? Você vai responder: ah, foi normal. Eu cheguei ao orgasmo tá bom, tá legal.
NÃO! Esse post tem a missão de ressaltar a importância do tesão e vem com o estranho objetivo de dizer que orgasmo não é sinônimo de sexo bom.
Com  a banalização do sexo, o tesão foi ficando pra trás e a transa perdeu muito de sua alma. Já disse aqui que sou a favor do sexo (seguro) sem compromisso. Mas ainda não disse que sou totalmente contra o sexo sem muuuuuuuuuito tesão. E como é que a gente reconhece esse tal de T? Não é só gostar ou estar a fim da pessoa? Não! Veja os sintomas:
  • vontade de tirar a roupa da pessoa toda vez que a vê
  • delírios ao pensar no beijo
  • vontade de morder
  • delírios ao lembrar do cheiro
  • vontade de encostar
  • ficar excitada logo no primeiro beijo
  • sentir o corpo estremecer com a pegada do maluco (e não estou falando no sentido figurado)
Só ficar excitada nas preliminares, sem desejo, sem expectativa, pode fazer o sexo fluir bem e você chegar ao orgasmo… Mas, como já dizia a minha avó, a comida fica muito melhor quando se está com fome.
Então, se você não tem fome da pessoa antes mesmo de encontrá-la, não perca seu tempo num sexo arroz com feijão. Levante a bandeira do tesão e só pratique sexo (seguro) com quem te desperta muito desejo de verdade. Não basta ser bonito, não basta ser ficante, não basta ser namorado, não basta ser gostoso. Se não houver a química que faz acender o grande fósforo do tesão, não perca seu tempo.
E pode ter certeza que, se houver tesão, o orgasmo vem muito mais fácil e muito mais intenso.
Fica a dica!
Beijos, @thaispontes


Portanto, ... não tentem fazer tudo isto sem tesão porque não vão conseguir ....

MOMENTO DIDÁCTICO DO DIA

TEMA: GERIATRIA E EDUCAÇÃO SEXUAL

Hoje vou falar-vos dum tema que nos vai começar a preocupar a todos, pelo menos daqui a 30 anos (no meu caso) e a menos no vosso ...


Como usar o preservativo



os perigos do uso da sanita ...





Grita mais alto que não te ouço !!!!!!!



Então Alfredo ... faz muitos anos que já não estão aí !!!!!



Deixa-te de brincadeiras Alberto ...
sei muito bem que é a tua bengala !!!!!






Não te ofendas Adelaide mas, nós éramos amigos,
 parentes ou esposos?

MOMENTO DE MEDITAÇÃO DO DIA

SABEDORIA ORIENTAL ... sempre actual

Uma mulher pergunta a um sábio chinês:
 

- Mestre, por que um homem que faz sexo com várias mulheres é chamado de campeão, e uma mulher que faz sexo com vários homens é chamada de vagabunda?·
E o mestre responde:·
- Filha, uma chave que abre várias fechaduras é uma chave-mestra. Já uma fechadura que abre com qualquer chave, não serve para nada.
 
 
 

Meditemos...

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

NELO E IDÁLIA ....

A nova decoração ...



OUTRA VEZ O JOÃO NUNO ...

Quase, quase, ... 17 anos

Fui outra vez ao báu e tirei mais estas ....


No Zoo de Lisboa nos golfinhos, comigo e com a Joana



Com a Joana no teleférico na Ilha da Madeira



Na praia.. só não sei qual



Na garagem em Condeixa, na festa de anos de alguém,
com o Pedro Albuquerque





Aqui nesta foto, com a mãe, no casamento da mana Patricia


Nesta foto, bem mais recente, a festejar mais um ponto, com os colegas de equipe do CAIC, que participou nos Campeonatos Europeus de Desporto Escolar (FISEC 2011) e que esta equipe ganhou na modalidade de voleibol masculino, na final contra a equipe da Flandres



Uma outra foto da final ...
o nº 10 é o seu melhor amigo e colega, João David

ATÉ NO BRASIL OS GAJOS ...


Até no Brasil os bandidos são do Porto ...


NOVIDADES DO ACORDO ORTOGRÁFICO

"Corrupção" é para manter... infelizmente !!!!!


terça-feira, 25 de outubro de 2011

AH POIS É !!!!! ... O miúdo já vai fazer 17 anos

Estes putos é que nos fazem velhos....porra !!!

O João Nuno nasceu no dia 31 de Outubro de 1994 e vou colocar aqui algumas fotos dele que fui buscar ao baú e digitalizei propositadamente para a ocasião.



Aqui, ao colo do avô João, meu pai ... de quem é muito cúmplice


Esta foto é célebre...correu várias molduras,....ehehehhe


Aqui na cozinha, em Condeixa, com "aquele ar ..."



Numa festa de aniversário, quando se juntavam
 os amigos mais chegados, para a prática
do desporto que ele mais gostava
Aqui o Rui, o João pedro, o João Gonçalo, ele próprio,
o João Miguel, e outro amigo que não consigo identificar ....
Em cima, o Bernardo,  o Kiko e a Andreia, "Maria Rapaz" que os
acompanhava sempre nestas futeboladas.


Aqui com a irmã Joana no Museu de História Natural
(é assim que se chama?) em Lisboa

Foto da Promessa
Momento solene na vida escutista

Na primeira comunhão ...




segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O MELHOR MESMO É EMIGAR ...

DICA CONJUGAL DO DIA

“O pavor da solidão é maior que o medo da escravidão … por isso nos casamos”
Cyril Conolli

ISALTINO COZINHEIRO

Como fazer uma "caldeirada à político" ...



GANDA BACALHOADA NAS FRAGAS DE S. SIMÃO

Ah ... e quase que esquecia... houve também um pequeno passeio pedestre... ehehehehhe



Esta a imagem do Google do percurso que devíamos fazer ....


Olá a todos:
A convite duma rapaziada que costuma fazer uns percursos pedestres por essas serras (http://caminheiros_de_figueiro.blogs.sapo.p) de Figueiró do Campo, simpática localidade onde a minha esposa exerce a profissão há já cerca de 25 anos, fomos este domingo “dar uma volta” pelas Fragas de S. Simão, situadas já no concelho de Figueiró dos Vinhos.


Vista do miradouro para a praia fluvial lá bem embaixo
Uma primeira visita ainda de carro à praia fluvial para aferir das condições para a refeição, ponto principal (único, na opinião de alguns, …) e momento alto do encontro.


Com a ajuda de sinalização adequada ....



Lá demos com o caminho certo ....
Depois e ainda de carro, fomos até S. Simão, aldeia que faz parte do roteiro das aldeias de xisto dos concelhos de Figueiró dos Vinhos, Penela. Pampilhosa da Serra, etc.


Em S.Simão, em frente ao restaurante que se recomenda ... cabrito excelente
O dia estava excelente pois não estava demasiado calor, havia algumas nuvens que “ameaçavam” chuva, o que se previa apenas para a tarde … e aí começámos o percurso que, supostamente seria de 5kms e que deveria demorar 2 horas.


Na aldeia de xisto de S.Simão

Porque eram já cerca de 11:00, a opinião (quase) geral foi de que se deveria começar pelo percurso menor (cerca de 1 km) por causa do almoço !!! … sábia opinião como se verá adiante.


Placas informativas na aldeia de S. Simão

E assim, ainda dentro da pitoresca aldeia, começámos a descer em direcção à praia fluvial com o mesmo nome (ali tudo é S. Simão: Fragas, aldeia e praia fluvial …) num percurso de grau de dificuldade nada elevado mas que exigia alguns cuidados por ser íngreme e com muitas pedras. Percurso muito bem sinalizado sublinhe-se.




No percurso descendente até à praia fluvial das Fragas de  S. Simão

Ao chegarmos lá abaixo à praia fluvial, apercebemo-nos que, em local que não tinha sido visível quando por lá passámos de carro, existiam algumas instalações que serviam perfeitamente os nosso interesses: uma churrasqueira, várias mesas e bancos, uma torneira com água, … e tudo bem perto da àgua …



Dois aspectos da praia fluvial
Só que este espaço apenas era acessível por uma estrada cuja entrada estava fechada por um portão de ferro e com um grosso cadeado …
A imaginação deste pessoal é infinita e houve logo alguém que disse que, se levantássemos o portão o suficiente para o ferrolho sair do buraco que o fixava e impedia a sua abertura, …. Estão a imaginar o resto.


Voltámos a percorrer o “tal” pequeno percurso de cerca de 1 km (desta vez com maior dificuldade porque era a subir …) e fomos buscar as viaturas.
Depois  de abrir o portão, entrar e fechá-lo novamente para não recebermos visitas indesejáveis, percorremos a estrada com cerca de 400 mts até á praia fluvial onde se começou a “armar a tenda” …
Enormes postas de bacalhau, batatas já temperadas, alfaces, cebolas, bolos e outros doces, pão e broa, … para além de toda a tralha necessária á sua confecção (fogão, carvão, grelhas, ….) começaram a dispor-se junto à “cozinha” …

Nestas coisas de comida, convém começar sempre antes com umas pequenas provas o que ontem também aconteceu ….


A Isabel, a Lena, a Manuela e a Alexandrina


Nos preparativos da "bucha", o Diamantino, o Sancho, a Raquel e o Luis
Bacalhau assado, saladas feitas, mesas postas e toca de “dar ao dente” num ambiente lindíssimo, no profundo vale onde corria um pequeno riacho e ladeado pelas já referidas Fragas … curioso pensar que poderosas convulsões geológicas terão contribuído para a sua formação …. Porque se notava mesmo que aquelas rochas foram rasgadas, partidas, … separadas de forma violenta há muitos milhares de anos.


E assim estivemos a comer descansadamente, nas mesas junto à ponte que atravessava o pequeno riacho e que fazia parte do percurso pedestre. Esta ia sendo atravessada por pessoas, sós ou em grupo, que aproveitavam o passeio por aquela zona tão bonita e fresca, com água límpida que deixava ver todo o leito.


A Alexandrina, o Sancho, a Raquel, o Élio e o Diamantino


O Redinha, o Luis e eu próprio



Notámos a presença de vários estrangeiros que há mais tempo que nós descobriram o prazer destes passeios pedestres no seio na natureza.
Ao pé de nós, um ruidoso grupo de jovens fazia também um piquenique.
Depois de comer e arrumada a “cozinha”, combinámos regressar á aldeia de S. Simão para reatar o percurso, desta vez pelo mais longo … a subida já só foi realizada por alguns pois era necessário conduzir as viaturas para a aldeia lá bem no cimo.


Desta vez a subida foi mais penosa, todos nós estávamos com mais peso e até a cabeça estava confundida e baralhada com a ingestão de bebidas, fruto do bacalhau que se quer salgado … e com alho ....


De tal forma que demorámos bastante mais tempo do que da ultima vez em que a tínhamos enfrentado … e ainda bem que começou a chover e todos nós nos manifestámos aliviados por, finalmente, as previsões meteorológicas se confirmarem … bolas, estava-se com receio que, uma vez mais, os tipos do “instituto meteorológico” se tivessem enganado e nos fazessem andar mais uns kms....


Despedidas feitas, agradecimentos habituais pela boa companhia e óptima disposição, promessas de reencontros próximos, sugestões de locais a visitar, … e vamos até casa que “elas não matam mas amolentam” …


E "prontos" .... havemos de fazer mais... quando as pernas já não doerem ... ehehehehhe