domingo, 30 de julho de 2017

COMBOIO HISTÓRICO DO VOUGA




 Olá a todos:

Numa pesquisa relacionada com o comboio histórico do Douro, descobri que a CP, numa parceria com o município de Águeda, estava a fazer viagens na Linha do Vouga com uma composição histórica, desde o início de Julho.

Amante de comboios, logo tratei de saber programa, forma de adquirir bilhetes, etc.

Os bilhetes foram facilmente adquiridos no site da CP, bilheteira online que tem dois separadores próprios para os comboios do Douro e Vouga.

O programa está também disponível no site e serviu para abrir o apetite.

Saída de Aveiro às 13:40 e a viagem, com a lotação esgotada, decorreu em marcha com velocidades da época e animada por um grupo de música popular que percorria as carruagens. 😀



A locomotiva, uma máquina diesel da série 9000, fabricada em Bilbau, com peças da Alsthom e da General Electric España no final dos anos de 50 do século passado, entrou ao serviço em Portugal 1975 nas linhas de bitola métrica das que a do Vouga é um exemplo.



Durante a viagem, fomos acompanhados por "guias" do município de Águeda que nos prestaram informações, distribuíram folhetos e nos mimaram com uns bolinhos regionais. 😀





Pelas 15:00 chegámos a Macinhata do Vouga, onde éramos esperados pelo grupo etnográfico, que nos recebeu com um espumante da região, bem fresco como convinha, dada a tarde quente ... "mimo" que a todos muito agradou 😀





O Grupo de Teatro Espontâneo de Macinhata do Vouga encarregou-se de efectuar umas representações históricas ligadas à "vida do comboio" ... a sala de espera, a bilheteira, o pagamento de salário aos ferroviários, ... e tudo durante a visita guiada pelo "Chefe de Estação" que, além de actor, serviu de guia.





Representações muito bem conseguidas, com um guião que a todos pôs bem dispostos e que fez revisitar a infância de alguns de nós.👍 

Depois da visita, efectuada em 3 grupos dado o elevado número de pessoas neste comboio, o regresso fez-se até Águeda onde o programa previa uma paragem de 1 hora para visitar a baixa da cidade, agora tão "na berra" devido ao umbrella sky que, de forma original e bem colorida, a enfeita e lhe confere um "não-sei-quê" de "septimana de la moda de Milão". 😎





Esta é uma perspectiva do comboio histórico do Vouga,  cujas carruagens em restauro efectuado há cerca de 3 meses atrás nas oficinas de Contumil, resultou num belíssimo trabalho onde os mais pequenos pormenores não foram esquecidos.


Na porta da WC esta peça em latão que indicava a sua  disponibilidade  ...


O interior da carruagem com os bancos em madeira impecavelmente envernizados, os varões e as bagageiras pintados, as janelas de subir, as cortinas em tecido "grosso" e as pegas em cabedal, ...



Um excelente trabalho de restauro que aqui aplaudo e enalteço.





E feita a visita a Águeda era tempo de regressar a Aveiro onde chegámos mais ou menos "à tabela": 19:01. 😀

Posso resumir este passeio com algumas notas:

- a facilidade na obtenção de informações sobre horários e programa;
- o apoio que os serviços de turismo do município de Águeda prestam aos passageiros, quer nas informações disponibilizadas, encaminhamento e acompanhamento da estação até ao centro da cidade;
- a animação pelo grupo de música e cantares tradicionais que acompanha toda a viagem;
- o "mimo" da recepção em Macinhata do Vouga, pelo grupo etnográfico, com um espumante da região;
- as representações dramáticas a cargo do TEMA que, para além de proporcionarem momentos de boa disposição, são importantes para a visita ao espaço museológico, dando a  conhecer o material exposto
- a visita à baixa da cidade de Águeda e ao seu famoso umbrella sky, conhecido assim duma forma diferente e original;
- a curiosidade e o carinho demonstrados pelas populações das aldeias e lugares por onde passávamos que, com sorrisos e acenos, saudavam o comboio, respondendo este com os "foooooommmmm" da sua locomotiva.

Deixo uma palavra de apreço ao Município de Águeda e à Junta de Freguesia de Macinhata do Vouga pelo esforço que tiveram ao remar contra os "ventos e marés" da tantas vezes insensata insensibilidade, passe a redundância,  que a centralização dos poderes provoca.

Uma outra ainda para o grupo de teatro TEMA pela animação que deu à visita ao museu ferroviário com as suas recriações históricas.








segunda-feira, 17 de julho de 2017

ALMOUROL E MUSEU NACIONAL FERROVIÁRIO



Olá a todos:

Conforme constava já no plano de actividades 2016-2017, no passado domingo, 9 de Julho de 2017, OS LESMAS foram passear junto ao Tejo.

A saída da sede foi às 09:00 como também estava já anunciado desde a última assembleia geral em 31/12/2014, ... bem, apenas uns minutos depois porque a Lurdes Góis e o João Luís atrasaram-se "derivado" duns últimos pastéis de bacalhau que demoraram mais tempo a fritar. 😀

Bem, e lá foram OS LESMAS até Penela onde se nos juntariam mais uns quantos de maneira a compor a caravana (éramos 30 participantes ansiosos por passear 😀 )




E em cerca de 45 minutos chegámos ao cais fluvial de Tancos onde já nos aguardava o guia turístico que nos iria acompanhar na viagem pelo Rio Tejo e no Castelo de Almourol.


É também habitual nem todos irem atentos e há sempre uma garotada que não tem atenção a nada ... e depois queixam-se porque chumbam no Exame e Admissão a Lesmas 😀




A viagem pelo rio demora cerca de 20 minutos e é bastante curiosa a diferente abordagem à ilha feita desta maneira 😎



A visita ao castelo foi igualmente muito interessante pois foram-nos dados a conhecer pormenores que não conheceríamos sem a visita guiada.



Apesar dos constrangimentos provocados pela apertada segurança, foi possível visitar todo o castelo, incluindo mesmo uma prolongada e difícil subida à sua torre de "ménage" 😀.



E a visita guiada prosseguia com a rapaziada atenta às explicações do competente guia que procurava atrair a atenção de todos.

No entanto, o calor apertava e as sombras eram os locais mais procurados... sendo também evidente o cansaço de alguns a quem a idade já não dá tréguas 😀



As "vistas" que se se conseguem alcançar das muralhas do castelo são lindíssimas e tivemos a sorte de ser prendados com um dia bem luminoso e de agradáveis temperaturas.





Já na parte final da visita ao castelo, a foto de grupo possível pois há sempre uns atrasados que demoraram mais tempo a apreciar o monumento. 


E já estávamos a regressar a Tancos, na mesma embarcação que estava por nossa conta. Eram já quase 13:00 e o parque de merendas estava reservado precisamente para as 13:00 😀


E os almoços dos Lesmas em "modo pic-nic" são sempre momentos de agradável convivío e boa disposição ... 


... para além dumas especialidades que alguns sempre levam.

Por exemplo, a Fernanda Bras leva sempre umas deliciosas especialidades que são muito apreciadas: conserva de lulas, conserva de sardinhas, conserva de anchovas, conserva de cavala, conserva de ... e tudo feito em casa no dia do passeio 😀




A representação dos Lesmas da Secção da freguesia de Cernache na mesa abaixo.


João Luís, Lurdes Góis, Gina e Carlos Apóstolo, Rui Geraldo e Isabel Jacob.


E aqui os representantes da recém criada Secção dos Lesmas do Oeste que irá marcar uma assembleia já para 2019 para decidir qual o valor das quotas, se serão grátis ou à borla 😀

Nelson Cruz, o 1º Presidente da Secção, Ana Cruz, Rui Nunes, o 2º Presidente da Secção, sandrine Nunes e Manuel Cambez o 3º Presidente da Secção 😀


E como sempre acontece há alguns que se esquecem do farnel e depois ..😀 😛


Bom, e depois de almoço, um cafézinho e umas lérias no bar do Cais Fluvial de Tancos, uns momentos de repouso à sombra fresca das àrvores ... era tempo de rumarmos ao Entroncamento para visitar o Museu Nacional Ferroviário.



Não conhecia e foi uma surpresa agradabilíssima ... Para além do material circulante de várias épocas (locomotivas, carruagens, vagões, ...) o museu apresenta ainda um espólio bastante rico de materiais, fardas, máquinas e equipamentos que serviam de apoio e suporte a toda a actividade ferroviária, quer de passageiros quer de mercadorias.






Um dos ex-libris do museu é o comboio real que é uma verdadeira e luxuosa obra de arte.

É composto por quatro veículos de via larga, a locomotiva D.Luis e o respectivo "tender", mais o salão D. Maria Pia e o Salão do Príncipe e era frequentemente utilizado nas viagens da família real de Lisboa a Vila Viçosa.

A locomotiva, de fabrico inglês em 1862, ganhou a medalha de ouro da Great London Exposition desse mesmo ano e manteve-se ao serviço até 1923.


E como é também usual nos passeios dos Lesmas, há sempre gente que aproveita para tirar ideias para bricolages caseiras.😀


E a visita decorreu em "modo livre" tal a enorme área do museu.


Para além dos pavilhões onde estão expostos materiais e equipamentos diversos bem como algumas lindíssimas miniaturas, o museu dispões duma enorme área coberta onde estão expostas as locomotivas a vapor de valor incalculável e cujo estado de conservação a todos nos deixou bem impressionados.




A tarifa de entrada, para o grupo, ficou em 4,50 para cada um e valeu cada cêntimo 😀

E como sempre acontece também, para alguns andarem a passear, outros têm que trabalhar e eu, como sou o Presidente de Julho, estive reunido com a administração do museu a tratar de assuntos dos Lesmas 👍




Uma foto do grupo depois da visita e antes de ir dar uma volta no "comboio" do museu  😀


Foi o momento mais divertido do passeio sem dúvida !!! 😀


Uma volta no pequeno comboio, conduzido por um maquinista funcionário do museu e que dá uma volta panorâmica por alguns locais do mesmo.



Foi o momento do dia em que os "grandalhões" se tornaram de novo meninos e desfrutaram do brinquedo ...






video

Bom... a visita ao Museu Nacional Ferroviário estava terminada e decidimos ir refrescar as gargantas ao parque ribeirinho de Vila Nova da Barquinha.


Mais uns momentos e convívio e boa disposição aproveitando a sombra, beleza e tranquilidade do local ... 

E depois duns "canecos", chegou a hora de nos despedirmos da rapaziada do Oeste e nós rumámos a norte, em direcção a casa pois tínhamos ainda que percorrer cerca de 90 kms.

E este foi mais um passeio d'OS LESMAS em que foi possível reforçar a nossa amizade, partilhar momentos de alegria e boa disposição, pôr a conversa em dia e dar uso às nossas "meninas" num dia especialmente bom para andar de mota.

Muito bom ... são as palavras que se me oferecem dizer e desminta-me quem tiver coragem 😀