terça-feira, 30 de setembro de 2014

domingo, 28 de setembro de 2014

PENSAMENTO DO DIA


Estudo recente revela que fazer sexo com amigo(a) fortalece a amizade ... vou já ao facebook perguntar se alguma das minhas amigas quer vincar a nossa relação de amizade ....




POEMA SOBRE A CRISE



A CRISE....

Os padeiros não têm massa
Os padres já não comem como abades
Os relojoeiros andam com a barriga a dar horas.
Os talhantes estão feitos ao bife
Os criadores de galinhas estão depenados
Os pescadores andam a ver navios
Os vendedores de carapau estão tesos
Os vendedores de caranguejo vêem a vida a andar para trás.
Os desinfestadores estão piores que uma barata
Os fabricantes de cerveja perderam o seu ar imperial
Os cabeleireiros arrancam os cabelos
Os futebolistas baixam a bolinha
Os jardineiros engolem sapos
Os cardiologistas estão num aperto
Os coveiros vivem pela hora da morte
Os sapateiros estão com a pedra no sapato
As sapatarias não conseguem descalçar a bota
Os sinaleiros estão de mãos a abanar
Os golfistas não batem bem da bola
Os fabricantes de fios estão de mãos atadas
Os coxos já não vivem com uma perna às costas
Os cavaleiros perdem as estribeiras
Os pedreiros trepam pelas paredes
Os alfaiates viram as casacas
Os almocreves prendem o burro
Os pianistas batem na mesma tecla
Os pastores procuram o bode expiatório
Os pintores carregam nas tintas
Os agricultores confundem alhos com bugalhos
Os lenhadores não dão galho
Os domadores andam maus como as cobras
As costureiras não acertam as agulhas
Os barbeiros têm as barbas de molho.
Os aviadores caem das nuvens
Os bebés choram sobre o leite derramado
Os olivicultores andam com os azeites
Os oftalmologistas fazem vista grossa
Os veterinários protestam até que a vaca tussa
Os alveitares pensam na morte da bezerra
As cozinheiras não têm papas na língua
Os trefiladores vão aos arames
Os sobrinhos andam "Ó tio, ó tio"
Os elefantes andam de trombas 
 SÓ OS POETAS CONTINUAM COMO SEMPRE...MARAVILHOSAMENTE TESOS


sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A MATEMÁTICA E O DIREITO











Agora, Srs advogados, perceberam  que, se os engenheiros quiserem, podem tornar a  matemática muito mais incompreensível em benefício próprio ?




terça-feira, 23 de setembro de 2014

OS LESMAS FORAM A ALFÂNDEGA DA FÉ




Olá pessoal:

Era há muito um passeio aguardado com grande expectativa.
Não só porque era no fim-de-semana de 20 e 21 de Setembro após uma semana de intensas chuvas, trovoadas, raios e coriscos por todo o país mas também porque se depositavam muitas esperanças na organização liderada pela Sra Presidente da mais recente delegação d'OS LESMAS em Mirandela, a Engª Fernanda Cerqueira, que tinha sido eleita, por unanimidade e aclamação na feira do Vinho e do Morango em São Pedro Velho.

O programa foi dado a conhecer antecipadamente o que revelou, logo, um profissionalismo fora do comum... habitualmente as coisas são ao "Deus dará" e logo se vê ...

E como combinado, a rapaziada começou a juntar-se no parque de estacionamento da nossa sede em Cernache:



Fui o primeiro a chegar e ainda não havia ninguém para me tirar uma foto ...


Logo a seguir, ás 8 e pouco, apareceram os novatos Rui Geraldo e Isabel numa bonita BMW F650
Quando ele me disse que tinha carta há apenas 3 meses e que tinha feito só cerca de 50 kms na mota... eu fiquei apreensivo... e vão-se estrear logo num passeio assim "largo" ... vamos ver o que acontece e logo tratei de lhe dar umas dicas sobre os passeios de moto em grupo.


A rapaziada da Secção da Granja do Ulmeiro que, desta vez, trazia um novo companheiro que já "meteu os papéis" para sócio desde o ano passado mas ... ainda não concluiu com aproveitamento as provas de admissão ...
Que é que pensam?... este é um restrito clube onde só entram aqueles que superarem as difíceis provas de acesso... há clubes que fazem campanhas de angariação de sócios e OS LESMAS têm uma imensa fila de espera !!!

O Fernando Narciso e a Rosa na CBF, o Ilídio Jorge e a Cláudia numa Varadero e o vogal da direcção Zé Francisco Silva com a esposa e funcionária da secretaria da Secção da Granja, Sílvia.

Andam já aí bocas a circular que o emprego foi "encomendado" porque é familiar dum elemento da direcção e tal ... na qualidade de presidente não quero saber, desde que a secretaria esteja em ordem quando eu precisar dum papel qualquer ele apareça, por mim tudo bem ...





Eis o Ilídio e a Cláudia na Varadero furada ... sim porque ela vinha a perder ar na roda de trás ... mas aguentou-se até ao regresso... enchia-se e 50 em 50 kms e toca a andar ...



O Zé Francisco e a Silvia ...


E desta vez, a Secção da serra da Sicó apenas esteve representada pelo Sr. Director, João Machado que também trouxe a Lídia ... que também já anda a pedir um empregozinho n'OS LESMAS.



E já estavam a chegar também o Carlos e a Gina ... na Africa Twin.

Com a chegada do Tenente e da Alda, na Shadow,.... estava o grupo composto por 4 motos como "adeve ser" (1 LT, 1 F e 2 RT) e 4 Hondas ... que não são assim motas c'más outras

Bom, e estávamos já um pouco atrasados ... o Carlos Apóstolo nunca mete gasolina na véspera porque o depósito tem um pequeno furo e perde combustível de noite na garagem, o Tenente esqueceu-se e o Ilídio foi "atestar" a pressão do pneu traseiro ... pedi-lhes que fossem andando enquanto nós "dávamos mais duas" de conversa ...

E eles foram ... mas cada um para sua "bomba" ... um foi prá Galp de Antanhol, outro prá Repsol de nem sei bem onde e o outro foi prá Galp da Adémia ...
Porreiro ... a coisa estava a começar bem.

Tínhamos combinado sair às 08:30 e eram já quase 9 ...


Acabei por parar no IP3, para ver se conseguíamos reagrupar ... e estavam apenas percorridos 12 ou 13 kms ... e já andávamos perdidos uns dos outros ...


Lá nos conseguimos manter unidos até Celorico, onde parámos para reabastecer e tomar um café ... mais umas dentadas no bolo que a funcionária da secção da Granja, a Sílvia, fez no forno que recentemente mandámos instalar na sede.
A próxima aquisição vai ser um micro-ondas que caiba no top case do Narciso para aquecer a sopa que passaremos a levar aos passeios.


Ora aqui está o bolo ... para primeira vez que o forno foi usado nem estava mau ... ainda tinha um gostozinho a tinta.




E lá prosseguimos pelo IP 2, em direcção ao Norte ... Dia de sol, temperaturas na "casa" dos 25º o que tornava a viagem excelente ... nesta foto, o António Tenente e a Alda.


E este "garotão" que não leva nada a sério a fazer piretes para a fotografia ... a secção da serra da Sicó é um problema ... além deste há o Rodrigues que ainda é pior !!!


O IP 2 já junto ao Douro ... um lindíssimo espelho d´agua àquela hora da manhã ...


Uma breve paragem na Praia Fluvial da Foz do Rio Sabor .... coisa que já se vem tornando habitual de cada vez que passamos por ali ...

O Carlos Apóstolo estava com um problema pois tinha o telemóvel com a bateria descarregada e por ali não havia tomadas ... tivémos que montar de imediato um painel solar e em poucos minutos já estava a bateria carregada e ele pronto para ir ao forno.


Aspecto do parque verde da praia fluvial ...


E a viagem até Alfândega da Fé prosseguiu sem problemas, acompanhando o Rio Douro durante parte do trajecto, até ao Pinhão ... Barragem do Sabor que teríamos a sorte de ver duma outra perspectiva,.... do cimo da serra a alguns kilómetros, que nos proporcionava um vista fabulosa sobre a sua futura mancha de água.

E já com a Srª Presidente da Secção de Mirandela, a Engª Fernanda Cerqueira que nos levou ao local de dormida, em Gouveia, simpática aldeia do concelho de Alfândega da Fé.
Uma escola primária, das muitas do interior deste pobre país, cada vez mais desertificado, que encerrou por falta de alunos.





A Srª Presidente à conversa com os seus congéneres das secções da Granja do Ulmeiro e da Serra da Sicó ... uns invejosos do pior !!!


Transformada em alojamento para grupos, tem a capacidade de 17 pessoas e está equipada com duas camaratas, 2 WC's e uma cozinha ... perfeito para o nosso grupo.



A escola primária onde pernoitámos e jantámos ... e tomámos o pequeno almoço ...


Aspecto duma das camaratas


E de Gouveia, fomos para o restaurante O Garfo 2, em Alfândega da Fé, que eram já horas do almoço ...


O Carlos Rosa e a Marina, a Fernanda e moi-même ... em mais um qualquer disparate ...





O Narciso, quando é para a foto, faz-se muito amiguinho da Rosa ... "Com papas e bolos ..."



A Lídia e a Sílvia, pobres infelizes, os maridos nem para as fotos aparecem ...



A mesa da Alda, Tenente, Isabel, Rui, Carlos e Gina ...


Octávio Silva, Vitor Mesquita, Filipe Oliveira, Ilídio e Cláudia, Xana e Carlos Nadais.
Excepto o Ilídio e a Cláudia, todos os restantes são do Porto onde já estão à procura de terreno para construir a sede ...

A ementa foi uma grelhada mista com um super-hiper-mega molho que deixou toda a gente a querer saber como se fazia ...


Como sempre, o Zé Francisco é o provador das comidas e cá está ele a provar antes de dar ordem ao cabo clarim d'OS LESMAS tocar pró rancho.

E a seguir ao almoço, estava programada com os serviços de turismo do município, uma visita à Casa da Cultura Mestre José Rodrigues.


seguindo-se uma visita ao parque verde para se apreciar quer umas esculturas quer algumas relíquias que faziam o dia-a-dia daquelas regiões ...




Sempre com a Sra Presidente a guiar-nos ... empenhada em que tudo corresse bem ... como correu de forma fantástica ...


Ainda se alvitrou a possibilidade de dar um passeio de burro mas o Zé Francisco disse que tem andado um bocado à rasca da coluna ...



e aproveitámos para fazer uma foto de grupo ... porque tudo indicava que, depois do jantar ... não seria mais possível .... como não foi ...


e a Sónia, simpática guia, ia começar com as explicações ...





é claro que há sempre malta que não presta atenção nenhuma e, depois, nos testes de conhecimento que sempre fazemos ao final de cada dia, não sabem responder ... veja-se o caso da Cláudia ... não ligava nenhuma ao que a Sónia explicava ...


e lá seguia o animado grupo em saudável visita pelo parque, aproveitando para digerir a farta grelhada ...


parte curiosa da visita, os restos dum lagar de varas ... cujo funcionamento foi detalhadamente explicado pelo carlos Apóstolo e pelo António Tenente, com o Ilídio a assistir e a pensar se, nas plataformas petrolíferas tivesse um aparelho daqueles, o petróleo até saía mais depressa ...


e parte do grupo manifestamente muito interessado  ... alguém segredou que iam sair perguntas no teste de final do dia, sobre aquele aparelho ...


e continuámos a visita a pé por Alfândega da Fé ...
Neste bonito painel de azulejos, alguém com imaginação alargada, disse que o autor se teria inspirado no Rodrigues e na Gracinda ... pensando bem, ... se calhar ...



Uma pequena paragem no cimo da vila, chamado o Castelo, para uma refrescante bebida ... a temperatura esteve sempre acima dos 25º ... e, mesmo à noite, não desceu dos 20º o que a tornou fantástica permitindo estar na rua até bem tarde.


Um dos ex-libris da vila: a Torre do Relógio


e um outro importante local de culto da vila transmontana: a Casa do Benfica de Alfândega da Fé. Muito visitado por residentes e turistas sempre animados do fervor clubista como só o GLORIOSO proporciona.




e o passeio pela vila acabou porque estes dois já estavam fartos de andar e fizeram birra ...


Eram horas de nos dirigirmos de novo à aldeia de Gouveia, para o local de pernoita e jantar.

Apesar de no programa constar "Merenda Transmontana", o que se queria mesmo dizer era "Jantar Transmontano à fartazana" ....


Mas, primeiro, ainda houve que estacionar as motos ... e algumas dificuldades tiveram que ser superadas com a ajuda sempre solidária dos motard's ... no caso, o Zé Francisco precisou que mão amiga lhe arranjasse uma pequena pedra para colocar debaixo do descanso ...


e o cozinheiro já lá estava a "adiantar" as coisas ... o António Moritti e a Fernanda na foto



e aqui está ele na cozinha ... a explicar o porquê daquela ementa tão especial



improvisou-se um pequeno auditório ...


a que mesmo os homens estiveram atentos ...


A Lídia descobriu que em redor da escola existem muitas amendoeiras... a daí até se organizar um grupo de apanha da amêndoa foi um pequeno passo.



e depois veio o pipo do vinho prá mesa ...


bem... e como as amêndoas começassem a escassear porque a velocidade de degustação era maior que a da apanha e do esmagamento da casca...


passou-se à fase seguinte ...  trazer as iguarias do chef António Moritti cá para fora ...


Muita e boa coisa ... de que já nem me lembro o nome ... mas de manhã ainda andava a arrotar àquilo tudo !!!!


a iluminação esteve a cargo do Narciso, que é o nosso técnico electricista da secção da Granja do Ulmeiro


e as senhoras... depois de comerem as saladinhas, estavam a tentar resistir à "marrã" transmontana ... especialidade com que o chef nos presenteou ...


e estas senhoras já estavam saciadas e só a aguardar pelas bebidas da "sossega" ...



o Vitor Mesquita não se enrascava e, assim que aprendeu as manhas do pipo, era um ver se te avias !!!


A noite estava fantástica, temperatura amena, ambiente óptimo e descontraído,... comida boa, vinho óptimo ...


Como o João Machado bem referiu, citando um conhecido provérbio popular: 
"Que linda noite sem orvalho ... está uma noite do c@r@lho"




e depois da merenda/jantar transmontano, uma pequena caminhada até ao café da aldeia para uma reconfortante "bica"


mais um passeio nocturno pelas ruas de Gouveia ... a Gina ainda descobriu umas gravuras idênticas às de Foz Côa ...

E eram horas de deitar ... o pequeno almoço estava marcado para as 09:00 e tínhamos que fazer uns bons kms de passeio por aquelas lindas serras (montes de montes segundo o carlos Rosa).

Mas como tinha sobrado bastante comida, ainda houve ceia e copos até bem tarde ... o costume !!!!



de manhã, o Filipe Oliveira e o Carlos Rosa ainda de ressaca ... das amêndoas.


o Tenente, só bebeu água, durante a semana toda e estava são que nem um pêro.



e a Rosa, cozinheira d´0S LESMAS da Granja do Ulmeiro, tratou do pequeno-almoço ...


Presunto, queijo, compotas várias, manteiga, frutas, leite, ... e vinho para quem o leite enjoa.



Mais uma vez as mesas do exterior foram as mais requisitadas ... o ar fresco da manhã fazia imenso bem ás cabeças ainda quentes do sol intenso de sábado.



e depois do cafézinho no bar da aldeia, eram horas de começar o nosso passeio matinal, que nos levaria por estradas lindíssimas por aquelas serras de paisagens que nos deixavam com "ooooohhhh's" de admirada exclamação ...



passei por sítios onde há mais de 55 anos não passava ...


estradas que não convidavam a pressas mas antes a vagares de contemplação




e pela N 315 seguimos até Santo Antão da Barca,  ladeando o Rio Sabor





Donde se via a barragem ainda em construção e que tanta polémica tem causado.  O Rio sabor era o único rio ainda "selvagem" no norte e a construção desta barragem vem alterar esse estatuto.




Foto do grupo no alto da serra 






Uma soberba paisagem com o Sabor em fundo e a barragem que está já a reter o seu curso.


e fomos prosseguindo sempre por estradas que, não fosse a nossa experiente guia, não encontraríamos nos GPS's


sempre rodeados de paisagens que ...


e estávamos já a aproximar-nos do santuário de Santo Antão da Barca


O Santuário de Santo Antão da Barca situava-se num local bem mais abaixo do actual.
No entanto, com a reserva de água da barragem na sua cota normal, o santuário ficaria totalmente submerso.


A solução encontrada foi a sua transferência, pedra a pedra, imagem a imagem, tábua a tábua, ...


Aproveitou-se para construir um enorme parque de estacionamento, com parque de merendas com muitas mesas e churrasqueiras ... 





a igreja estava ainda a ser alvo das obras de reconstrução e alguns painéis não estavam presentes pois foram para recuperação especializada ...



Depois da visita ao novo santuário de Santo Antão da Barca, o destino era também um santuário, desta vez o santuário Mariano dos Cerejais.

Trata-se dum santuário de culto mariano com muita devoção naquela zona do país.

No primeiro domingo de Maio, aquelas encostas enchem-se de peregrinos e romeiros que ali afluem para demonstrar a sua devoção e partilhar a merenda com amigos e familiares.


A Engº Fernanda Cerqueira explicando aos visitantes um pouco da história do lugar



Situado num lugar bem elevado, era dali possível observar, de novo, paisagens de beleza tão delicada quanto rude.


A indispensável foto de grupo ...




Não sem antes ter acontecido uma inesperada "aparição" ... a Lídia, que estava desaparecida há cerca de 10 minutos, apareceu, de repente, debaixo da azinheira. Logo almas piedosas de fervor religioso, ali lhe manifestaram sentida devoção.


Isto, apesar de alguns incrédulos e cépticos não ligarem importância nenhuma ao sucedido ... 


e estava na hora de ir para o almoço... ali bem perto, no Centro Social Paroquial dos Cerejais.



O centro Social e Paroquial de Cerejais é uma IPSS que desenvolve um trabalho meritório naquela região e com várias valências que a tornam um pouco menos desfavorecida.





a Lídia e a Fernanda a prepararem-se para o almoço ...


e quando a bela da feijoada à transmontana chegou a Marina logo se "atracou" a ela ... 





o Narciso e eu ainda estivémos de plantão a segurar um pilar ...


E este o grupo de simpáticas e eficientes cozinheiras e ajudantes que nos serviram maravilhosamente ...
Uma sopa excelente e uma feijoada de se lhe tirar o chapéu ...

Ficámos a saber que nesta IPSS há possibilidade de dormida para grupos ... para a próxima ...



e, apesar de gostarmos muito de estar ali, era preciso prosseguirmos o programa que ditava que a próximo e último destino seria o Hotel & SPA Alfândega da Fé, na Serra de Bornes.


donde se avistava uma fabulosa paisagem ...



para a qual não encontro palavras suficientemente esclarecedoras ...


ficam as fotos ...



e a minha expressão de espanto e admiração


e a paisagem era complementada com estas "meninas" giras ...


E a entrega duma lembrança pelo Presidente Director-Geral Majestade Ilustríssimo,  momento de mais que merecido agradecimento  à Engª Fernanda Cerqueira, Presidente d'OS LESMAS em Mirandela, pela impecável organização deste passeio.


A foto de grupo final onde já faltam o Carlos Rosa, o Filipe Oliveira e o Ilídio que veio a "dar ar" ao pneu de trás até Celorico onde este rebentou mesmo.

Sorte tive eu que o convenci que "era melhor vir sózinho... que o pneu aguentava mais, blá blá blá"... e trouxe a esposa comigo que, assim, ficou a saber o que é andar numa mota a sério ...

Conclusões:

1. É possível passear com pouco dinheiro, senão vejamos:
- O almoço de sábado custou 8,00
- A merenda/jantar 9,00
- A dormida e pequeno-almoço 10,00
- O almoço de domingo 7,50

2. É possível passear em Portugal conhecendo novos lugares mesmo para os que, tal como eu, têm a pacóvia presunção que já conhecem tudo

3. É possível passar um fim-de-semana com as mesmas "velhas" pessoas e ter sempre "novos" assuntos para conversar o que faz com que o tempo passe a correr

4. Por último, é possível um grupo alargado de pessoas, com gostos diferentes, passar um fim-de-semana de são convívio sem que nada o belisque.

AH... já esquecia ... OS LESMAS levam o Sol consigo quando viajam ... Há um "ser" que nos abençoa sempre com bom tempo .

Mais uma vez, obrigado a todos por partilharem comigo este gosto de viajar de mota e por serem meus amigos ... sem vós, seria, sem dúvida mais difícil.


Todas as fotos AQUI