quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

ECOPISTA DO DÃO BY BIKE


Olá a todos:

Hoje não venho aqui escrever sobre motos ou piadolas baratas mas sim sobre a Ecopista do Dão.

Há dias, com um grupo de amigos "habituées" das voltas de bicicleta, decidimos ir percorrer a Ecopista do Dão e em boa hora o fizemos pois revelou-se uma surpresa fantástica.

Esta via situa-se na antiga linha do Ramal de Viseu que ligava Santa Comba Dão àquela cidade e começou a a ser construída em 1890.
Interrompido o serviço de mercadorias em 1972, foi totalmente desactivada em 1988 para o transporte ferroviário.
Atravessa os concelhos de Santa Comba Dão, Tondela e Viseu num total de quase 50 kms (49,214 kms) e resulta do esforço conjunto destas autarquias na sua reabilitação para espaço de lazer dos seus habitantes.

Bem ... Fomos de carro com as bikes até à estação de caminho-de-ferro de Santa Comba Dão e aí começámos o fabuloso percurso que nos iria tomar quase todo o dia.



O percurso inicia-se exactamente na estação e deve percorrer-se o seu cais até ao fim.






video




Aí, entra-se numa pequena vereda de terra batida que deve ter não mais de 250 mts chegando, aí sim, ao início da ecopista que está devidamente sinalizado.


video


A pista começa pintada e cor azul, correspondente ao concelho de Santa Comba... mais tarde passaria a verde quando chegámos ao concelho de Tondela e, em Viseu, a cor é vermelha.

E assim começou a lindíssima aventura de percorrer aquela pista com  a sorte de ter connosco um dos mais bonitos dias de Outono deste ano, com sol brilhante e quente, com temperaturas agradáveis (10º - 22º) e com paisagens soberbas, pintadas com cores que só a natureza sabe conjugar para tornar a vegetação tão bonita.


video


O piso é bom, a pista está muito bem tratada e, na sua maior parte, ladeada por vedações de madeira. 






video


Ao longo de todo o percurso, vamos passando pelas estações, apeadeiros, e passagens de nível que nos faziam recuar nas memórias do tempo, revivendo as viagens em comboios a vapor, em que as linhas eram sinal de azáfama pela quantidade de pessoas que trabalhavam nos caminhos-de-ferro.

Depois de passada a surpresa inicial pela beleza do percurso (e ainda só tínhamos iniciado o percurso ...) deparou-se-nos a ponte metálica sobre a albufeira da Aguieira ...


video



Atentem na beleza desta paisagem que nos rodeia, na sofisticada palete de cores com que está colorida ...


video



Mas não foi sempre por entre arvoredo colorido e/ou pequenos vales escavados para que o comboio ali passasse ... a pista também se abria e deixava que a paisagem se descobrisse, indo pela encosta sobranceira aos vales, ladeando a colina.



video




Na sua versão ascendente, de Santa Comba para Viseu, a linha passava por:

km 6 Treixedo;
km 9 Nagosela;
km 14,5 Tonda 
km 16,5 Porto da Lage
km 20,5 Tondela
km 22,5 Naia
km 24,2 Casal do Rei
km 26,8 Sabugosa
km 29,8 Parada de Gonta
km 32,4 Farminhão
km 35 Várzea
km 36,5 Torredeita
km 38,2 Mosteirinho
km 41,o Figueiró
km 42,8 Travassós de Orgens
km 45,9 Tondelinha
km 47,6 Vildemoinhos
km 49,214 Viseu

Fizemos uma paragem entre Tondela e Naia (km 21 mais coisa menos coisa) para um "reabastecimento técnico" no restaurante Maçarouco que nos foi recomendado por uns trabalhadores que restauravam uma casa perto da pista.




Depois duma bifana e uma garrafa de branco, apalavrámos o almoço para as 13:45 (frango de churrasco e entrecosto) e demos novamente ao pedal.

E ainda bem que que "reabastecemos" pois esperava-nos a "Boa Acção do Dia" ...

video



E havia que continuar pois para Viseu faltavam ainda cerca de 25 kms ... e tínhamos encomendado o almoço para as 13:45... por esta altura pensava já que seria difícil cumprir aquele horário ...


A maior parte da pista estava coberta de folhas o que lhe conferia uma beleza ainda maior ...

Reparem que no concelho de Tondela, o piso é já de cor verde ... e as paisagens continuam lindíssimas.


video



Uma das muitas passagens de nível que cruzámos ...

video

Mais um aspecto da bela pista que nos estava a deliciar.


O grau de dificuldade para esta pista não é elevado ... arriscaria mesmo dizer que está ao alcance de qualquer pessoa minimamente preparada e sem problemas de saúde. No entanto, no sentido Viseu-Santa Comba "rola-se" melhor... de santa Comba para Viseu é sempre a subir embora de forma pouco acentuada.


Outra das muitas pontes que iríamos atravessar ... esta depois de Tondela e bem perto do apeadeiro de Naia, em ruínas, mas que terá sido um edifício de beleza que mereceria a sua conservação ... 

video


video



E lá seguíamos nós em boa média (cerca de 18 kms/h) em direcção a Viseu, por esta altura ainda a cerca de 23 kms do destino.

A estação de Sabugosa.


Para os que estão a pensar fazer o mesmo que nós, podem estar tranquilos pois como já referi, a pista está bem tratada, há locais de "abastecimento" entre curtas distâncias, está bem sinalizada, ... 


Neste caso, a placa indicava que faltavam 21 km para Viseu.

E aqui a chegada à estação de Parada de Gonta, onde eu e o João Machado esperámos pelos mais "lentos" depois duma verdadeira ratada na subida que antecede a chegada a esta estação. 

video

E poucos metros após a estação, chegamos ao Túnel de Parada ... que deu um gozo percorrer ... 


video

... e já no concelho de Viseu, na companhia duns "canitos" que por ali andavam a  brincar 



video

Uma paragem no viaduto por cima da A25



e a estação de Torredeita, onde está exposto material circulante da época:

- locomotiva
- vagão correio e mercadorias coberto
- carruagem de passageiros
- vagão descoberto



video

Esta locomotiva ainda em bom estado de conservação, pode subir-se e ver toda aquela tecnologia de "ponta de carvão" Foi uma das 6 encomendadas a uma empresa alemã em 1890.









E já sem bateria na maquineta de filmar, foi com o telemóvel que se fez a foto de chegada a Viseu, ao local onde se situava a antiga estação do caminho-de-ferro, hoje um parque e avenida.



PS: faltam o António Rodrigues e o Ilídio porque se atrasaram bastante e havia que minimizar o atraso com que iríamos chegar ao restaurante.

O regresso fez-se em bom ritmo mas, surpreendentemente... parecia que também era a subir.

Quando íamos em direcção a Viseu comentávamos que, depois, era porreiro e tal porque era sempre a descer ...  não sei o que se passou mas, certamente pela inclinação do eixo da Terra, a atracção dos pólos, o magnetismo das pulseiras do António Sala, ... qualquer fenómeno estranho fez com nos parecesse que, para baixo, também era a subir ...樂

De novo no Túnel da Parada




O mais que merecido almoço mas já uns minutos depois das 15:00 ...



E o dia aproximava-se do seu fim ... havia ainda que pedalar cerca de 25 kms e o sol iria por-se bem depressa ...

tempo ainda para pequenas paragens para as fotos costumeiras ...





enquanto esperava pelos companheiros ... fotografava a minha fiel montada ... 




... "eize-os" finalmente: o António Rodrigues, o João Machado, o Fernando Narciso e o Ilídio Franco



De novo na ponte metálica sobre a albufeira da Aguieira ... agora com outras cores já a adivinhar o pôr-do-sol ... 







e já na estação em Santa Comba, onde tinha ficado a viatura com a  geringonça de transporte de bicicletas ...



Bem... para concluir... nada melhor que a foto do "computador de bordo" ... 

105,34 kms de prazer, camaradagem e um regalo para a vista estas paisagens.


Grande aventura... grato aos companheiros de jornada.


sexta-feira, 4 de novembro de 2016

SUGESTÃO DO DIA



Resultado de imagem

Diz Catarina Martins que uma boa forma de contornar a chatice dos gestores recém nomeados para a Caixa Geral de Depósitos terem que declarar os seus rendimentos ao Tribunal Constitucional seria este órgão de soberania guardar em local bem fechado e reservado as respectivas declarações.

Não me parece nada bem não senhor !!!! 

Os gestores não querem dar a conhecer os seus rendimentos e património e nós, simples cidadãos, também não queremos saber disso para nada. 

Então para quê meter o Tribunal Constitucional ao barulho que tantas coisas importantes tem já para fazer? 

São os recursos dos Salgados, dos advogados do "Sócas",... e também de gente boa como o do GNR Hugo Ermano !

Podiam simplesmente confessar-se ao padre Vitor Melícias que, estou certo, não revelaria estes segredos confidenciados ao abrigo do sagrado sacramento da confissão 









quinta-feira, 3 de novembro de 2016

PRÉMIO FNAC ESTANTE ARRUMADA

É com muito agrado que vos comunico que a FNAC acaba de ganhar o 1º Prémio Estante Arrumada.

Muitos parabéns pela harmoniosa conjugação de títulos literários. 






OS BOCEJOS DA SORTE DE JORGE JESUS


Do melhor que tenho ouvido !!!! 

Quando era treinador do GLORIOSO tinha vergonha... agora rio-me a bandeiras despregadas !!!! 





quarta-feira, 2 de novembro de 2016

CHEIRA AQUI A MERDA

Resultado de imagem para GNR


Boa tarde rapaziada:

Resolvi vir aqui escrever qualquer coisa depois de ter visto na TV um apontamento de reportagem sobre a "violência policial" exercida pela GNR sobre um cidadão no Algarve.

Ora, segundo o dicionário Priberel (Priberam/Pimentel):

VIOLÊNCIA POLICIAL  é  o uso da força desproporcionada e desmesurada, injustificadamente utilizada sobre cidadãos inocentes.

INOCENTE, diz também o dicionário que é o cidadão que não comete crimes cumprindo o normativo existente, paga os seus impostos e cuja conduta se rege pela moral, usos e bons costumes da sociedade onde se insere e o seu comportamento se pauta pelo bom senso e urbanidade.

FORÇAS DE SEGURANÇA/AGENTES DA AUTORIDADE são os elementos devidamente formados e equipados para fazer valer a Lei e a Ordem, de acordo com as regras do bom senso, dos usos e costumes da sociedade, prevenindo o crime e os desvios daquelas regras, devidamente aprovadas pelos órgãos democraticamente eleitos e publicadas pelos órgão de soberania competentes.

CRIMINOSO é o "bardina", que vive à margem dos bons usos e costumes da sociedade onde se insere, que rouba, mata, agride e esfola os "outros"... os tais cidadãos INOCENTES acima referidos.

Ora, tendo presente estes pressupostos e revendo os acontecimentos:

1. O CRIMINOSO estava já referenciado por roubos à mão armada com violência;

2. O CRIMINOSO, no decurso de mais um assalto, fugiu de carro às FORÇAS DE SEGURANÇA/AUTORIDADES POLICIAIS efectuando vária manobras perigosas pondo em perigo a sua vida, a das FORÇAS DE SEGURANÇA/AUTORIDADES POLICIAIS e a de outros condutores;

3. Despistou-se e, só por isso, foi possível fazer a sua detenção;

4. A detenção do CRIMINOSO foi difícil pois sabendo das limitações legais das FORÇAS DE SEGURANÇA/AGENTES DA AUTORIDADE resistiu à detenção usando de violência contra estas;

5. Como lhes compete e era esperado, as FORÇAS DE SEGURANÇA/AGENTES DA AUTORIDADE, usaram da força necessária para a detenção.

...

Agora pergunto eu: Onde é que está a violência policial ?

Se isto é violência policial, abençoada seja e que não doam os braços àqueles agentes da GNR que "chegaram a roupa ao pêlo" ao CRIMINOSO.

E os comentadores da TV que, apenas para ser politicamente correctos dizem que "Ah e tal... têm que ser averiguadas as circunstâncias em que... e coiso" ... deviam era ter os tomates no sítio para chamar os bois pelos nomes e dizer "sim senhor... louve-se a actuação das forças da autoridade que fizeram o seu trabalho".

Isto sim, era serviço público de Televisão mas são todos uns cobardolas e ninguém quer assumir-se... 

Já me faz lembrar quando ainda trabalhava numa grande empresa em que toda a gente sentia o cheiro da merda mas ninguém era capaz de dizer: Cheira aqui a merda !!!